O que brinquedos proporcionam às crianças

Quando as crianças manipulam brinquedos, elas têm a chance de reproduzir, transformar e até negar situações que vivenciam. Também colocam em cena o que desejam conhecer

Quando as crianças manipulam brinquedos, elas têm a chance de reproduzir, transformar e até negar situações que vivenciam. Também colocam em cena o que desejam conhecer.

Esse poder de experimentação não é inerente aos objetos. Guardados em armários ou caixas, eles não são nada mais do que simples produtos.
Mesmo que sejam carregados de traços culturais, os brinquedos só têm a capacidade de proporcionar novas vivências quando são usados por alguém.

“Não se deve esperar que eles condicionem a ação dos pequenos. Na verdade, são suportes e sempre estarão sujeitos a novos significados”, diz Gisela Wajskop, diretora do Instituto Superior de Educação de São Paulo – Singularidades, na capital paulista.

Justamente por causa dessa mistura, entre os significados culturais e a liberdade inventiva, é importante ter muitos brinquedos na escola, ao alcance da turma. Quando carrinhos, panelinhas, bonecas e blocos de construir, entre outros, são objetos do brincar, as crianças ganham a chance de explorar a realidade, conhecer valores diferentes dos seus e inventar o próprio universo.

E mais: elas constroem vínculos com esses objetos e estabelecem relações de posse, de abandono e de perda, refletindo sobre si mesmas e descobrindo como reagir a situações que vão reproduzir ao longo da vida no convívio social.

Nessa dinâmica – como ocorre com os jogos e com as brincadeiras também -, o papel do educador tem de ser múltiplo. O trabalho deve começar pela organização de um acervo. As opiniões das crianças – quais os brinquedos de que elas mais gostam? E quais não conhecem? – é tão importante quanto a diversidade de itens. Depois, é fundamental saber agir. Em alguns momentos como observador e em outros como agente que enriquece a situação, sugerindo novos usos e contextos às peças.

NOVA ESCOLA apresenta cinco tipos de brinquedo – voadores, bonecas e bonecos, meios de transporte, blocos de construir e tradicionais. Conheça mais sobre eles e depois experimente observar o acervo da escola com um novo olhar.

FONTE: Revista Abril

Related posts

Como é o lá fora que a gente quer?

Conexões genuínas entre as crianças e a natureza podem revolucionar o nosso futuro. Mas será que essa descoberta ainda é possível nos grandes centros urbanos do mundo? Evidências científicas apontam que a falta de contato com a natureza pode contribuir para problemas físicos e mentais. No novo capítulo de “O Começo da Vida”, os principais

Leia Mais

Dia Mundial da Alfabetização

O Dia Mundial da Alfabetização é celebrado desde 1967, no dia 8 de setembro. Esta data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), com o objetivo de incentivar a discussão sobre o tema no mundo todo com ênfase em

Leia Mais

Dia dos Pais

Tributo a um pai gigante Como se mede a estatura de um pai? Com uma régua de dois metros? Meu pai media alguns centímetros, talvez quatro ou cinco, além de um metro e meio, mas tenho certeza de que era um gigante que se debruçava à noite, em minha cama, para ajeitar o cobertor e

Leia Mais