Especialistas apontam principais erros dos pais na educação financeira dos filhos

Compensar a ausência dando presentes ou dinheiro ao filho. Dar mesada muito cedo. Tentar falar de dinheiro com a criança usando termos que ela não entende.

Esses são alguns dos erros que os pais cometem em relação à educação financeira dos filhos, na análise de especialistas no assunto.

Para a educadora financeira Cássia D’Aquino, o principal equívoco é achar que a criança não precisa ser educada sobre o tema.

“É um erro atribuir a responsabilidade da educação financeira à televisão, aos amigos ou à publicidade. Quem realmente interfere e estimula os filhos, em todos os aspectos, são os pais”, diz.

O consultor financeiro Gustavo Cerbasi, que acaba de lançar o livro “Pais inteligentes enriquecem seus filhos” (Editora Sextante), afirma que os pais erram, por exemplo, quando deixam de envolver as crianças nas decisões financeiras da família.

“O filho pode ser convidado a participar do planejamento do orçamento das férias, da ceia de Natal ou de um fim de semana de passeio, por exemplo”, sugere.

Consultor lista os seis princípios da educação financeira

Só dar dinheiro não é suficiente

De nada adianta os pais se disporem a tratar do assunto com os filhos, no entanto, se usarem uma linguagem ou exemplos que não fazem parte da realidade das crianças.

O especialista em educação financeira Álvaro Modernell, autor de oito livros voltados para crianças, diz que um dos maiores erros dos pais é falar com elas de assuntos que fazem parte do universo adulto, como o custo da energia ou a aposentadoria.

Para Modernell, o mais adequado é fazer a abordagem em momentos relacionados a assuntos de interesse da criança.

“Se ela quer comprar uma bola, por exemplo, o pai pode ir com ela até duas ou três lojas para mostrar a importância da pesquisa de preços.”

Outro erro comum, afirma Modernell, é achar que dar uma mesada já é suficiente. “Além de dar dinheiro, é importante que os pais deem orientação com relação ao planejamento e à poupança.”

Dar dinheiro à criança sem data certa e valor definido também pode ter um efeito inócuo na educação financeira, afirma Cássia D’Aquino.

“A função da mesada é permitir que a criança possa começar a organizar seu dinheiro. Sem uma frequência, ela não tem como se planejar.”

Mesada, só a partir dos 11 anos

Segundo Cássia, a mesada não deve ser dada à criança antes de ela completar 11 anos, porque é só a partir daí que ela tem a noção exata da duração do mês.

“Antes dos 11 anos, o ideal é dar uma semanada. Assim, se ela gastar todo o dinheiro e ‘falir’ no meio da semana, por exemplo, não precisará esperar tanto tempo para se recuperar”, ensina.

Os especialistas também reprovam os pais que, na ânsia de dar aos filhos o que não tiveram, tentam satisfazer os desejos das crianças comprando presentes ou dando dinheiro de forma não planejada.

“Dessa forma, criamos a ilusão de que podemos compensar nossa ausência com a compra de bem-estar para os filhos”, diz Gustavo Cerbasi.

FONTE: UOL Notícias * Economia

Related posts

Feira de Ciências 4º ano

O que você sabe sobre o mundo micro? Aconteceu semana passada a Feira de Ciências do 4º ano! Os alunos explicaram tudo sobre o mundo micro, com apresentações, ilustrações, cartazes, maquetes, protótipos e jogos digitais para que os visitantes testem os conhecimentos adquiridos durante as apresentações. Show né? Saiba os detalhes deste projeto: “O que

Leia Mais

Agenda Cultural da Trilhas

Vamos de super dica pra dezembro com a Agenda Cultural da Trilhas: Com o grande desafio de adaptar o teatro ao virtual, a peça “Elas e Virgínia”, com Direção de Vanessa Corina, é baseada na obra de Virgínia Woolf, grande escritora e feminista do século XX. A peça será transmitida via live no instagram da

Leia Mais

Projeto Trilhas Sonoras

O Projeto Trilhas Sonoras foi concebido em 2001 para ser um gerador de situações de aprendizagens nos diversos campos de experiências da Educação Infantil e áreas do conhecimento do Ensino Fundamental. O projeto trabalha, a cada ano, um tema articulador de um grande processo pedagógico que perpassa a proposta curricular da escola e culmina com

Leia Mais