O frio está chegando com tudo! Nesse período, a atenção com as crianças deve ser redobrada. Confira algumas dicas para aquecer seu filho na estação das baixas temperaturas

bebe_frio

No inverno o clima fica seco e as doenças respiratórias são mais comuns, afetando principalmente os recém-nascidos. O bebê, especialmente nos seis primeiros meses, sofre muito com as alterações de temperatura e com o nariz constantemente obstruído. Isso ocorre porque, na barriga da mãe, ele fica envolto pelo liquido amniótico, que, dentre outras funções, ajuda a manter a temperatura adequada dentro do útero. Ao nascer, o bebê estranha a mudança térmica bruta. Por isso, é importante ficar atento a todos os detalhes como roupas, banho e saídas nesse período:

Roupas: opte por aquelas de algodão, pois a lã pode dar alergia e ressecar a pele, e o náilon não é adequado para baixas temperaturas. É importante sempre ficar de olho na temperatura da criança, que deve estar entre 36,5 e 37,2 graus, certificando-se de que não colocou peças demais. Como os bebês perdem muito calor nas extremidades, mãos, pés e couro cabelo ficam mais gelados. Portanto, ao sair, coloque na criança luvas, meias e gorros.

Banho: antes de começar o banho, deixe o chuveiro ligado para vaporizar o ambiente e evitar o choque térmico entre a água e a pele do bebê. Isto traz uma sensação mais agradável para a criança. O melhor horário é entre às 15h e 16h, com a água em torno de 37ºC.

Saídas: o ideal é evitar lugares aglomerados pelo menos até os dois primeiros meses, quando o recém-nascido toma a vacina Pentavalente (contra difteria, tétano, coqueluche, infecções causadas por Haemophilus influenzae tipo b e hepatite B). Passeios antes das 10h e depois das 17h não são bons, pois nesses períodos do dia as temperaturas estão mais baixas, com mais vento. Evite, também, sair com a criança após dar banho nela.

Aquecedor: pode ser usado, desde que não seja em uma temperatura muito elevada. É importante, também, manter os ambientes ventilados para que o ar circule. Deixe sempre uma fresta aberta nas portas ou janelas.

Carrinho de bebê: os carrinhos disponíveis no mercado são, em geral, bem adaptáveis às baixas temperaturas. Escolha um que tenha protetor para chuva e frio ou compre um protetor individual que se adapte ao modelo que você já tem. Só cuidado para não sufocar a criança! Os protetores devem sempre ter aberturas nas laterais para a circulação do ar.

Berço: na hora de dormir, coloque um pijama bem quentinho no bebê e uma manta por cima, do pescoço para baixo. Até os dois meses os recém-nascidos, em geral, não se mexem muito à noite, portanto não é preciso prender o cobertor no colchão. A partir dos três meses, pode prender, mas deixe sempre um pouco frouxo para não machucar a criança.

Visitas: é comum os parentes e amigos irem visitar o recém-nascido, mas alguns cuidados são necessários. É bom evitar o contato com pessoas gripadas, com tosse e coriza, que deixam o vírus no ar e podem contaminar o bebê.

Fonte: Revista Crescer

Related posts

Como é o lá fora que a gente quer?

Conexões genuínas entre as crianças e a natureza podem revolucionar o nosso futuro. Mas será que essa descoberta ainda é possível nos grandes centros urbanos do mundo? Evidências científicas apontam que a falta de contato com a natureza pode contribuir para problemas físicos e mentais. No novo capítulo de “O Começo da Vida”, os principais

Leia Mais