Brigadeiro não é só de chocolate

Especiarias, castanhas ou bebidas alcoólicas dão um toque diferente ao docinho mais querido do Brasil. Aprenda como combinar!


Todo brasileiro cresce comendo brigadeiro. Os negrinhos enfeitam mesas de aniversários em todo o País, saciam a fome de açúcar nas madrugadas, recheiam e encobrem bolos e dão sabor a mil sobremesas. De uns tempos para cá, o docinho deixou de ser exclusivamente de chocolate e, hoje, tem bolinha de leite condensado de tudo o que é sabor.

“Para um doce ser, de fato, um brigadeiro, deve ter três ingredientes básicos: manteiga, chocolate e leite condensado”, afirma Juliana Motter, da Maria Brigadeiro, doceria que lançou o conceito do negrinho gourmet e espalhou suas variações pelo País.

Mas então quer dizer que não pode fazer brigadeiro sem cacau? “São licenças poéticas”, explica Juliana. Ela conta que os novos sabores surgiram de necessidades particulares. “Pessoas que não gostam ou não podem comer chocolate me pediam versões diferentes. Hoje, faço massas com manteiga de amendoim e doce de leite, por exemplo.”

Expandir o leque de sabores para além do chocolate, da receita de brigadeiro branco ou do popular bicho-de-pé, aquele cor de rosa, agradou. E explorar o potencial gastronômico das pequeninas esferas, decoradas por forminhas de papel, antes associadas restritamente a festas de criança, deu certo. “O brigadeiro é versátil e tem potencial gastronômico como sobremesa”, afirma Juliana. Elevar seu status é fácil e criar novos sabores também não é difícil. “Basta que sua base seja feita com ingredientes de qualidade: ao invés de margarina, manteiga, e cacau no lugar do achocolatado”, afirma a doceira. “A partir daí, tudo o que combina com chocolate pode ficar bom no brigadeiro.” Só não vale interferir na essência da receita. “Os sabores extras devem imprimir nuances, nunca encobrir o sabor do chocolate.”

A cachaça dá sabor à receita de brigadeiro e o álcool evapora com o cozimento

Apesar de versátil o brigadeiro é sensível. Anote dicas para não errar o ponto:

– Qualquer sabor de brigadeiro deve ser preparado em fogo baixo, para o açúcar não se cristalizar antes de ser incorporado ao leite condensado (formando aquelas bolinhas).
– Ervas, castanhas e bebidas alcoólicasdevem ser acrescentadas no fim do preparo, logo antes de a massa do brigadeiro descolar do fundo da panela. Se aquecidas desde o início do preparo, os óleos vegetais ficarão com sabor acentuado e as ervas poderão queimar.
– Para adicionar ervas, como o manjericão, a dica é fazer uma infusão com água e deixar ferver por bastante tempo. Ao reduzir, o sabor do líquido é concentrado. “Dá também para picar as folhinhas e acrescentar à massa. Mas tem que ser quando o brigadeiro estiver quase pronto”, diz Juliana.
– Algumas especiarias em pó podem entrar direto na massa. Cardamomo, masala e gengibre são alguns exemplos. Este último pode ser ralado também. Para este tipo de preparo, vale a regra de incluir o ingrediente apenas no fim do cozimento.
– Para apimentar os brigadeiros, o leque de opções é maior: vale pimenta em pó, em molho, gotinhas de conservas ou até geleia de pimenta. “Pimenta rosa, preta, malagueta, chilli, tabasco e caiena combinam com o chocolate”, sugere Juliana.

– Quer um brigadeiro de canela, fácil de preparar? Adicione um pauzinho da especiaria desde o início do preparo do brigadeiro tradicional, e retire-o quando pronto.
– Receita inusitada: brigadeiro com sal. Isso mesmo. “O sal no brigadeiro harmoniza o sabor por contraposição”, diz Juliana. “Para um contraste harmonioso utilize flor de sal, que é mais aromática. O comum é processado em excesso e não funciona tão bem.”

FONTE: IG Comida

Related posts

Trilha Solidária

Há quase 20 anos, a Trilhas recebeu um pedido para ajudar a arrecadar alimentos para uma instituição de caridade. A vontade de ajudar e de ser solidário contagiou a escola e assim começou o projeto Trilha Solidária. A contribuição é voluntária e a arrecadação é feita da seguinte maneira: no começo de cada mês, a

Leia Mais

11 DE JUNHO TEM FESTA JUNINA NA TRILHAS

PROGRAMAÇÃO 9h às 12h30 – Festa Junina para os (as) alunos (as) do Ensino Fundamental I e II 14h às 17h30 – Festa Junina para os (as) alunos (as) da Educação Infantil Nosso arraiá está chegando! Para quem já participou noutros anos, é hora de recordar o quão especial este evento é para a comunidade

Leia Mais