O Dia do Folclore é uma data importante do nosso calendário escolar. É quando reforçamos ainda mais as histórias das principais personagens das lendas brasileiras, e investimos em invenções, adaptações e dramatizações. “É algo absolutamente deslumbrante para as crianças”, afirma Cintia Katzwinkel, Diretora Pedagógica.

* Ouça um papo sobre folclore com Guilherme Romanelli. Especialista em educação musical, musicalização, formação de professores, resgate da música popular e construção de instrumentos, Guilherme também é professor do Departamento de Prática e Ensino da UFPR e pai do ex-aluno Gabriel e aluna Laura.

 

Vale a pena saber!

A data existe graças ao arqueólogo inglês Ambrose Merton –pseudônimo de William John Thoms- que, em 1846, fez um estudo sobre as tradições e lendas do seu país. O termo folclore (folklore) é um neologismo criado e usado por ele em uma carta endereçada à revista The Athenaeum, de Londres, onde os vocábulos da língua inglesa folk e lore (povo e saber) foram unidos, passando a ter o significado de saber tradicional de um povo. Desde então, o termo é utilizado para designar toda a cultura nascida entre as pessoas, dando ao folclore o status de história não escrita de um povo.

Pode-se chamar de folclore a ciência das tradições e usos populares, que se constitui pelos costumes e tradições transmitidos de geração em geração. Todos os povos possuem suas tradições, crendices e superstições, que se transmitem através de lendas, contos, provérbios, canções, danças, artesanato, jogos, religiosidade, brincadeiras infantis, mitos, idiomas e dialetos característicos, adivinhações, festas e outras atividades culturais que nasceram e se desenvolveram com o povo.

O folclore brasileiro se originou pela mistura de diferentes raças, como índios, negros e brancos, que colonizaram nossa terra. A mistura dos conhecimentos de cada uma dessas raças foi sendo transmitida de uma para a outra, formando nossa identidade cultural.

Os personagens folclóricos mais conhecidos da nossa cultura são: o Curupira, o homenzinho que vive nas florestas, tem os pés voltados para trás, cabelo vermelho e que protege a natureza dos homens que tentam destruí-la; o Saci-Pererê, negrinho de uma perna só, que usa uma carapuça vermelha e fuma cachimbo, faz travessuras, esconde objetos, entra em redemoinhos e também assusta pessoas que tentam destruir as florestas; o Boto é uma espécie de peixe que se transforma em homem, para encantar as moças, levando-as para morar com ele nos rios do Amazonas; e a mula-sem-cabeça, uma mulher que fez tanto mal que a própria natureza a fez soltar fogo pelo pescoço, como castigo.

Fonte: Brasil Escola.

Related posts

11 DE JUNHO TEM FESTA JUNINA NA TRILHAS

PROGRAMAÇÃO 9h às 12h30 – Festa Junina para os (as) alunos (as) do Ensino Fundamental I e II 14h às 17h30 – Festa Junina para os (as) alunos (as) da Educação Infantil Nosso arraiá está chegando! Para quem já participou noutros anos, é hora de recordar o quão especial este evento é para a comunidade

Leia Mais

Feliz Dia das Mães

MÃES As mães não inventaram o Dia das Mães, o comércio inventou o Dia das Mães. As mães inventaram o colo carinhoso, o beijo lambuzado de sorvete, o abraço cheio de areia e barro, as mãozinhas sujas de tinta em seu vestido novo. As mães inventaram o doce olhar lacrimoso no dia do casamento do

Leia Mais

Evento Laços de Família

No dia 30 de abril,tivemos um sábado mais que especial aqui na escola! Nossa comunidade escolar estava toda reunida para uma manhã cheia de atividades culturais e artísticas em nosso Laços de Família! Confira as imagens dos Retratos de Família: Confira também as fotos do evento:

Leia Mais