Por que crianças não devem beber refrigerante

refri

 

Por que crianças não devem beber refrigerante. Eu gosto, você gosta, nós gostamos. Nem adianta vir com o papo da dieta, da vida saudável ou qualquer outra balela. A verdade é que muita gente gosta de refrigerante – exceto poucos privilegiados que conseguem se manter longe dele.

Daí ser muito natural que apareça nas refeições da família, nos passeios em restaurantes… O problema é que refrigerante não tem nada a ver com criança. Ela não é bom para os adultos, que fique bem claro. Mas, nós podemos pensar na desculpa de que bebemos conscientemente e bla, bla, bla. Já as crianças são vítimas passivas.

Olha só o que o refrigerante apronta no organismo infantil:

*a bebida é muito calórica. E vicia. Quem toma uma vez não esquece jamais. Só que em excesso vai engordar, a criança corre o risco de acabar obesa e ainda ter diabetes.

*Novamente, a bebida é muito calórica. Mas, são calorias vazias. São feitas basicamente de água gasosa e açúcar. O problema é que o refrigerante toma o lugar de outros alimentos que também poderiam ser calóricos mas forneceriam nutrientes importantes para o seu desenvolvimento. Um copo tem praticamente a mesma quantidade de calorias de um copo de suco, mas oferece vitamina, minerais e fibras.

*Com tanta açúcar em sua composição, lógico que refrigerantes favorecem as cáries. Um copo faz o mesmo estrago que cinco balas!

*Não adianta nesse momento pensar que existem refrigerantes zero ou light. Eles contém adoçantes, substância que, mesmo depois de várias pesquisas, ninguém sabe o que causa no desenvolvimento infantil. Vai arriscar?

*A bebida também pode interferir na absorção do cálcio. E o cálcio, é muito importante na infância! Ele é quem ajuda diretamente no crescimento dos ossos e previne uma série de doenças no futuro, como a osteoporose.

*Outro vilão que entra na composição é o sódio, que consumido em excesso pode causar pressão alta. Sim, em crianças também.

*Os refrigerantes amarelos geralmente são feitos com o polêmico corante tartrazina, que está relacionado a crises de alergias respiratórias.

A solução? Não apresente refrigerante para seu filho. Adie o máximo possível esse encontro mesmo que tenha de apelar para a frase: “é uma bebida de adulto”. Se ele já conhece e gosta – sim, porque muitas crianças não gostam, aleluia – diminua o consumo- e nesse caso terá de diminuir o seu também. Como já disse acima, o refrigerante vicia. Parar com ele vai resultar em algumas crises de abstinência, mas você voltará a ver a luz e quando notar, vai pedir suco de laranja natural no restaurante.

Fonte: Comer para crescer.

Related posts

Leão Gritalhão

Leão gritalhão, uma grande diversão é um livro que convida crianças e adultos a refletir sobre a forma em que nos comunicamos. Pode ser na floresta ou na cidade, não importa a paisagem, o que importa são os vínculos ou relações que criamos. Um dos pontos fundamentais desta história é a simplicidade com que se

Leia Mais

Homenagem aos 100 anos de Paulo Freire

Ilustre educador e filósofo brasileiro, Paulo Freire completaria 100 anos em setembro de 2021. Seu legado lhe proporcionou a posição de um dos pensadores mais notáveis da pedagogia mundial, tendo influenciado o movimento chamado pedagogia crítica. O método Paulo Freire reconhecido e premiado em âmbitos nacionais e internacionais, consiste em conscientizar o aluno, ou

Leia Mais

Como é o lá fora que a gente quer?

Conexões genuínas entre as crianças e a natureza podem revolucionar o nosso futuro. Mas será que essa descoberta ainda é possível nos grandes centros urbanos do mundo? Evidências científicas apontam que a falta de contato com a natureza pode contribuir para problemas físicos e mentais. No novo capítulo de “O Começo da Vida”, os principais

Leia Mais