Viagem sob controle

Acredito que sempre busquei muito o controle da minha vida. Queria sempre saber o que viveria, como, quando, em que circunstâncias, em que medida. Hoje enxergo este controle como algo utópico. Não é nada saudável ter tudo milimetricamente planejado, já que a execução e realização dependem sempre de muitos fatores externos. Mas, confesso que, para algumas questões, o planejamento e o controle são fundamentais! Encontrei, dentro da vida que levo, a área em que não só posso como devo ter o controle: a alimentação. E não se trata de um controle negativo e doentio, que ao invés de saúde, vira uma doença. É um controle saudável, que resulta em bem estar e satisfação. Uma das melhores sensações que já experimentei na vida foi ter o controle do que coloco para dentro do meu corpo. Ser dona do que escolho comer, de quem compro, do que preparo, do que como e do que ofereço para os que estão a minha volta.

Durante o ano todo eu fiz as melhores escolhas de onde comprar o que consumo, o que consumir, como preparar e quando comer. Nestas férias, não consegui simplesmente terceirizar a minha alimentação. Fiz escolhas de locais “de pouso” que tivessem sempre uma cozinha a minha disposição e carreguei, por dois estados brasileiros diferentes, parte dos meus mantimentos. Nos momentos em “casa”, preparei o que tenho costume de comer. Nos momentos fora de “casa”, procurei e encontrei sempre opções igualmente interessantes.

Estou de férias do trabalho, mas nunca de férias da minha alimentação!

 

 

Fernanda Galvão
Nutricionista, diretora administrativa da Escola Trilhas e autora do blog “Sobre a Mesa”: www.sobreamesanutricao.wordpress.com.

Comentar