Jogar todo dia…

…aumenta o aprendizado ao garantir muita diversão num contexto que reúne não só prazer e fantasia mas também regras

 

 

Prazer na repetição
O jogo de exercício é um dos preferidos das crianças de 4 e 5 anos. O barato é a repetição: chacoalhar o dado na palma da mão e soltá-lo sobre a mesa, esperando por um número, é um exemplo. Outro é avançar o peão no tabuleiro a cada rodada. Na pré-escola, jogar é um momento privilegiado para explorar isso. E o bom é que a atividade ganha sentido, pois, quanto mais brincam, melhor fica o desempenho.

Puro faz-de-conta
O jogo simbólico é marcado pela representação. Quando a criança assume o papel de um personagem, ela mergulha no mundo do faz-de-conta. Da mesma forma, um tabuleiro pode representar uma história que só faz sentido durante aquele percurso (na vida real, é um peão ou uma pedra que avançam sobre as casas, mas todos achamos que somos nós mesmos a percorrer a trilha).

Respeito ao combinado
No jogo de regras, o negócio é cumprir as normas estabelecidas. Para vencer uma partida, é preciso andar apenas o número de casas mostrado no dado. Além disso, quando alguém cair numa armadilha, tem de pagar o castigo previsto. Em exemplares criados (ou adaptados) pelos pequenos, é possível inventar ou modificar alguns princípios, o que ajuda a mostrar que nem sempre é necessário só seguir ordens.

O papel do professor
Crianças jogam sob o olhar atento da professora: momento especial para brincar, aprender, propor desafios e os fazer crescer. Escolha os jogos mais adequados para as experiências que você quer valorizar. Essa é a hora de brincar e aprender. Observe como as crianças se comportam e registre tudo. Só assim você vai detectar se aquele jogo específico é desafiador para todos. Faça perguntas que levem a conhecimentos, como ‘quanto você precisa tirar no dado para chegar ao final?’. Para que a turma confeccione um modelo personalizado, é preciso que os pequenos tenham se apropriado do cenário, do enredo e dos personagens. Ainda assim, eles não fazem tudo sozinhos. Você coordena o trabalho, fornecendo materiais e sugerindo reflexões.

FONTE: Revista Escola 

Related posts

Confiram como foi a 23ª Feira do Livro da Trilhas!

Nossa 23ª Feira do Livro, que aconteceu no sábado, dia 22/9, foi um sucesso! O dia estava lindo, muitas famílias presentes para acompanhar a programação cheia de atividades! O evento contou com espaços para as turmas apresentarem seus livros coletivos, compra e troca de livros e gibis, contação de histórias, leituras dramáticas pelos 5º anos

Leia Mais

Alunos e alunas vivenciam uma visita à Feira

A nutricionista Graziela Carrão, responsável pelo Setor de Alimentação e Nutrição da Escola Trilhas, realizou uma atividade com as turmas do Infantil V para enriquecer as conversas sobre o projeto que este nível desenvolverá no Simpósio Criança, Mídia e Consumo: ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. A ideia de “ir à feira com a Grazi” foi para criar uma

Leia Mais

Atenção! o Tamanduá-Bandeira corre risco de extinção.

As turmas dos infantil VI (Peixe Boi e Tamanduá-Bandeira) estão investigando animais que correm risco de extinção. Acompanhe abaixo o texto coletivo produzido pelas crianças, com a ajuda das Professoras Renata e Karen. “Você conhece o Tamanduá-Bandeira? Ele é um mamífero que vive no cerrado e se camufla nos matos maiores. E mesmo conseguindo se

Leia Mais