Cuidados com as crianças no tempo seco

A baixa umidade do ar traz uma série de desconfortos para as crianças e adultos. Veja como amenizá-los

0,,65039661,00

O tempo está seco na sua cidade? Saiba que o impacto desse clima atinge a saúde de crianças e adultos. Entre os sintomas estão ardência e ressecamento dos olhos, boca e nariz e, principalmente, doenças respiratórias – o que se agrava ainda mais se a criança é alérgica.
“Atualmente, uma em cada cinco crianças têm algum tipo de alergia, e, quando o tempo fica seco, as alérgicas, que têm rinite ou asma, por exemplo, são as que mais sofrem com os desconfortos respiratórios”, diz o pediatra Cid Pinheiro, do Hospital São Luiz (SP). Tosse, coceira no nariz (em crianças menores pode até ocorrer casos de sangramento nasal), espirros, garganta seca e falta de ar são as manifestações respiratórias mais comuns”, diz.

Nas grandes cidades, a situação se complica ainda mais. Isso porque mais partículas de diversos tipos ficam no ar e são inaladas, como os ácaros, o enxofre que sai do escapamento de veículos, poeira e restos de materiais queimados.

O que fazer?

Para evitar ou minimizar esses problemas, é preciso alguns cuidados. Em primeiro lugar, fique atenta com a hidratação das crianças. É fundamental oferecer bastante líquido. Água, sucos, água de coco e chás são boas opções. Mas alguns alimentos são também importantes. De acordo com Milton Mizumoto, nutrólogo da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), frutas ricas em líquidos, como melão e melancia, devem fazer parte do cardápio. Laranjas e outras que têm vitamina C são aliadas para reduzir as crises de rinite, mais frequentes com a baixa umidade. Alguns alimentos, no entanto, devem ficar longe do cardápio de filhos e pais, caso das frituras e industrializados. Abuse dos legumes e verduras no preparo da comida das crianças. Se o bebê mama apenas no peito, convém oferecê-lo mais vezes.

Outra dica é colocar soluções fisiológicas no nariz da criança e fazer inalações somente com soro para aliviar o desconforto respiratório. Se a irritação for nos olhos, vale pingar algumas gotas de soro e fazer uma limpeza para umidificar o local. Em casa, a higiene do ambiente com pano úmido no chão e nos móveis é fundamental para eliminar o acúmulo de poeira e evitar crises de alergia. Também é importante manter os ambientes arejados, seja com umidifcadores (em perfeito estado), toalhas molhadas ou baldes de água (longe do alcance das crianças). Evite, ainda, lugares fechados, com aglomeração de pessoas, como shoppings, mercados e cinemas.

A pele também merece atenção. Evite banhos com água muito quente, que provocam o ressecamento da pele, e verifique com o pediatra do seu filho se é caso de ele usar um creme hidratante. Lembre-se também de que as atividades físicas ao ar livre não devem acontecer entre 10 e 16h, quando o tempo está mais quente e o ar, mais seco.

Quando procurar um médico?

Se a tosse da criança vier acompanhada de febre e falta de ar, é preciso consultar o especialista imediatamente, porque o ressecamento das vias aéreas pode provocar crises de alergia, como asma, por exemplo. O mesmo procedimento deve ser feito caso os olhos da criança permaneçam irritados por mais de três dias, mesmo depois da higienização com o soro.

Se o machucado na pele, causado pela constante coceira, estiver muito vermelho e dolorido, é hora de fazer uma avaliação com o pediatra.

Fonte: Crescer.

Related posts

Escolas começam a enfrentar déficit de natureza das crianças

Se alguma escola ainda tem grama sintética no parquinho é melhor arrancá-la imediatamente. Está tudo errado nessa ideia meio anos 1980 de se construir um ambiente artificial para que a criança não se suje enquanto brinca no intervalo. Primeiro, porque a brincadeira no pátio não é vista mais apenas como algo que o aluno faz

Leia Mais

Todas as escolas públicas de Nova York aderem à Segunda Sem Carne

Já está mais do que comprovado pela ciência de que uma das melhores maneiras de ajudarmos o meio ambiente éreduzir o consumo de carneou abraçar de vez a dieta vegetariana. Especialistas dizem que reduzir o consumo de carne vermelha é mais eficaz contragases do efeito estufado que deixar de andar de carro. Foi pensando nisso

Leia Mais