Criatividade e informação para estimular o consumo consciente em crianças

Não é uma tarefa fácil para os pais ensinar aos seus filhos comportamentos de consumo consciente. Todos sabem o papel e a influência da mídia, que estimula o consumo desenfreado associando a qualidade de vida, o desenvolvimento humano e a felicidade ao poder de compra do cidadão, mas a mídia que atinge essas crianças já bombardeou os seus pais há décadas. Então como os pais, que não querem ter filhos consumistas e alienados por marcas, podem ensinar os filhos a não cometerem os mesmos erros? A resposta é Informação e Criatividade.

Bom, muitos aqui devem saber que eu não sou pai, o mais perto que me aproximo disso é tendo um sobrinho de quase 3 anos, e é por ele que estou escrevendo este post. Semana passada estive na casa da minha irmã e me deparei com este kit abaixo:

Esta lembrança foi entregue a cada convidado da festa de aniversário de uma coleguinha de escola do meu sobrinho. Ao invés dos famosos “saquinhos surpresa” que vêm cheio de guloseimas um kit com vaso, terra, pá e sementes de girassol. Um belo incentivo para criançada.

Já imaginou uma lembrancinha assim numa festa realizada dentro de uma lanchonete Fast-food? Seria uma ironia total. Infelizmente uma única lembrancinha no fim da festa não faz diferença alguma no comportamento de quem participou, é preciso que todo o contexto tenha motivos que aproximem e estimulem hábitos mais conscientes. Já pensou em fazer a festa numa área aberta e verde, tipo num clube ou parque? Para fazer uma festa assim não é preciso contratar uma consultoria ou ser um gênio, basta estar disposto, se informar e ter o mínimo de criatividade.

Você já pensou em banir os refrigerantes da festa? E os doces altamente calóricos? E os copos descartáveis? Não? Pois pense. É possível substituir tudo isso sem a sensação que algo está faltando. Você pode, por exemplo, substituir os refrigerantes por sucos fresquinhos, usando aquele seu lindo juicer. Os docinhos podem ser substituídos por frutas cristalizadas, salada de frutas ou qualquer outro doce menos calórico, basta fugir do convencional. Copos descartáveis podem ser substituídos por canecas de plástico resistente, assim não fica naquela de cada vez que toma alguma coisa se joga um copo fora. Você pode também personalizar essas canecas com o nome de cada convidado, permitindo que no final da festa ele leve a caneca embora.

Em relação a festas de aniversário, muitas outras coisas podem ser feitas, como:
– adaptação dos convites que podem ser impressos em Papel Semente ou enviados por e-mail e redes sociais;
– substituição de frituras por sanduíches naturais;
– gincanas durante a festa que estimulem a reciclagem e a preservação ambiental;
– substituição das bexigas na decoração por materiais reciclados que possam ser reaproveitados nas próximas festas.

A cada dia se fala mais e mais sobre a preservação ambiental, pouco se fala sobre o consumo desenfreado, a grande causa dos problemas ambientais. Quando eu era pequeno lembro na escola as comemorações do “Dia da Árvore”, onde fazíamos desenhos e plantávamos algumas mudinhas. Quase nada mudou nos dias de hoje. Já perguntei a alguns educadores se em suas escolas abordavam a questão do comportamento de consumo nas crianças, seja em aulas ou palestras, me disseram que nada nesse sentido era feito. Portanto o que resta aos pais é fazer o indispensável, ensinar em casa.

Uma coisa importante que devemos ensinar as crianças é o hábito de se desprender das coisas. Você pode, por exemplo, substituir a compra de presentes por passeios, idas aos Fast-food por piqueniques e até combinar com seu filho que a cada presente novo que ele ganhar um antigo será doado a uma instituição ou diretamente a uma criança carente. Quando eu era pequeno lembro-me de ter ido à casa de uma família humilde na minha rua, lá havia várias crianças e foi para elas que entreguei muitos dos meus brinquedos, foi ótimo. Se você puder levar seu filho para doar pessoalmente é melhor ainda. Este acordo pode também ser feito durante o período do aniversário, onde a cada presente ganho um antigo será doado. Pode também estimular os convidados que tiverem filhos a trazerem brinquedos que não usam mais para doação.

Para que os pais comecem a ensinar seus filhos no dia a dia é preciso que se informem sobre consumo consciente, sustentabilidade e preservação ambiental para que assim mudem os próprios hábitos e influenciem os filhos. Mas não é assistindo TV ou noticiários que se aprende sobre isso. Eu publico aqui no blog vários posts, com textos, fotos e vídeos sobre o assunto, mas indico também o site do Instituto Akatu que possui ótimas informações sobre o assunto e também o Akatu Mirim, dedicado exclusivamente aos pequenos internautas que aprendem de onde vêm e para onde vão os diversos produtos que consomem, além de saberem os impactos de suas cadeias produtivas sobre o meio ambiente, tudo isso através de muita interatividade com uso de animações, brincadeiras e jogos. Outro site que indico é o do Projeto Criança e Consumo, ele possui diversos artigos informativos e faz um grande trabalho em defesa dos nossos pequenos consumidores.

FONTE: Coluna Zero

Related posts

Alunos (as) recebem a visita de diferentes animais

Durante as ultimas semanas as turmas têm realizado pesquisas para o projeto Nome de Turma. Como o tema gerador desse ano é “Conexões de Toda Natureza”, os eixos de pesquisas estão voltados para a natureza, para as diversas espécies de árvores e de animais. Ana Carolina, veterinária e mãe da Trilhas, gentilmente trouxe alguns animais

Leia Mais

Água de oito em cada dez municípios do Paraná apresenta “coquetel” de agrotóxicos

Em cada oito de dez municípios paranaenses, os cidadãos, ao consumirem água, acabam ingerindo um verdadeiro coquetel de agrotóxicos. É o que revela uma investigação feita com base em dados do Ministério da Saúde, os quais apontam que em 326 das 399 cidades do Paraná (81,7% do total) foi testado positivo, entre 2014 e 2017,

Leia Mais

Escolas começam a enfrentar déficit de natureza das crianças

Se alguma escola ainda tem grama sintética no parquinho é melhor arrancá-la imediatamente. Está tudo errado nessa ideia meio anos 1980 de se construir um ambiente artificial para que a criança não se suje enquanto brinca no intervalo. Primeiro, porque a brincadeira no pátio não é vista mais apenas como algo que o aluno faz

Leia Mais