Como ajudar seu filho a superar a timidez

Se seu filho corre para trás das suas pernas assim que vê alguém que não conhece, veja ideias para incentivá-lo a deixar a timidez de lado.

timidez-1024x709

É normal que algumas crianças se sintam desconfortáveis em situações novas ou que as coloquem como centro das atenções. A timidez não é uma doença e, em muitos casos, é apenas mais uma característica da personalidade de uma pessoa. Ou seja, ela só é um problema quando é excessiva e prejudica o desenvolvimento ou a capacidade de estabelecer relações sociais.

 

Se seu filho tem muita dificuldade em fazer amigos ou medo de tirar dúvidas em sala de aula, isso pode impedir que ele consiga brincar ou falar com outras crianças, interferir na capacidade de aprendizado e até causar sofrimento. Mas você pode ajudá-lo. A psicóloga e psicopedagoga Cynthia Wood, mãe de Fabrizzio, explica que às vezes o comportamento dos pais em relação aos filhos faz com que eles desenvolvam ainda mais a insegurança, reforçando a timidez.

 

“Pais muito rígidos e exigentes podem contribuir para o desenvolvimento da timidez”, aponta a especialista. Isso acontece porque o exagero na hora de repreender a criança quando ela faz algo inapropriado pode fazer com que ela se retraia. Isso não significa que você não deve dar bronca no seu filho quando necessário, mas que deve tentar estabelecer um equilíbrio na maneira como faz isso.

 

A superproteção também pode ser um erro, pois a criança tem mais dificuldade de resolver os próprios problemas. “Crianças que são superprotegidas também têm dificuldades, já que perdem a capacidade de encarar a frustração e tendem a se isolar socialmente para não sofrerem decepções”, afirma Elizabete Duarte, psicopedagoga e mãe de Camilla e Willian.

 

O que fazer

 

Você pode contribuir positivamente de várias maneiras. Mas, se você perceber que mesmo assim seu filho está encontrando dificuldades, não hesite em procurar a ajuda de um profissional como psicólogo ou pediatra. Veja algumas dicas da especialista sobre o que pode ser feito por você:

 

  • Encoraje o convívio com outras crianças em parques, clubes, festas infantis e todos os lugares com pessoas da mesma idade para interagir.
  • Aguce a curiosidade da criança: antes de ir a algum local, fale quem vai estar lá e o que vai ter de interessante, para segura e curiosa para explorar o lugar e a situação.
  • Elogie sempre que seu filho conseguir ir a algum lugar novo e interagir com outras crianças. Não critique se ele ficar com medo.
  • Incentive a ajudar os outros: Quando você envolve a criança na realização de pequenas tarefas para alguém que esteja precisando, ela se sentirá útil, valorizada e menos inibida.

Fonte: Pais e Filhos.

Related posts

Confiram como foi a 23ª Feira do Livro da Trilhas!

Nossa 23ª Feira do Livro, que aconteceu no sábado, dia 22/9, foi um sucesso! O dia estava lindo, muitas famílias presentes para acompanhar a programação cheia de atividades! O evento contou com espaços para as turmas apresentarem seus livros coletivos, compra e troca de livros e gibis, contação de histórias, leituras dramáticas pelos 5º anos

Leia Mais

Alunos e alunas vivenciam uma visita à Feira

A nutricionista Graziela Carrão, responsável pelo Setor de Alimentação e Nutrição da Escola Trilhas, realizou uma atividade com as turmas do Infantil V para enriquecer as conversas sobre o projeto que este nível desenvolverá no Simpósio Criança, Mídia e Consumo: ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. A ideia de “ir à feira com a Grazi” foi para criar uma

Leia Mais

Atenção! o Tamanduá-Bandeira corre risco de extinção.

As turmas dos infantil VI (Peixe Boi e Tamanduá-Bandeira) estão investigando animais que correm risco de extinção. Acompanhe abaixo o texto coletivo produzido pelas crianças, com a ajuda das Professoras Renata e Karen. “Você conhece o Tamanduá-Bandeira? Ele é um mamífero que vive no cerrado e se camufla nos matos maiores. E mesmo conseguindo se

Leia Mais