Para os sertanejos, o arroz-vermelho não só alimenta como também cura

No sertão, a tradição manda cozinhar o arroz-vermelho sempre no leite. Maria Eridan Câmara, dona de casa na zona rural de Apodi, ensina: “Primeiro ferve na água, com sal. Quando secar, começa a pôr o leite, aos poucos. Aí, é mais uma hora pra ficar molinho”. “Molinho”, no caso, significa que o arroz empapa, tipo um risoto. Chega a virar quase um purê, a tal ponto que pode ser usado inclusive no escondidinho, como substituto da macaxeira.

Mas o jeito que os sertanejos gostam é acompanhado de feijão-de-corda e galinha caipira (ou galinha de capoeira, como é chamada por aqui). Assim mesmo, cozido no leite. Na Paraíba, quando combinado com o feijão, vira uma espécie de baião-de-dois, conhecida como “rubacão”. Dependendo da receita, costuma levar também queijo de coalho ou carne. Essa hoje pode ser bovina ou suína, mas no passado era a de uma pomba da caatinga conhecida como arribação – daí o nome do prato.

O arroz-vermelho já foi também um santo remédio no sertão, dada a imensa quantidade de ferro contida nos grãos integrais. “Antigamente se dava o caldo que sobrava do cozimento pro menino que estava fraquinho”, lembra Rildo Góis, produtor no vale do Apodi. Também fazia parte da dieta das mulheres que haviam acabado de dar à luz, como forma de aumentar a produção de leite materno. Ainda hoje, dizem que não há melhor fonte de energia para o trabalho na roça que um bom copo de mingau de arroz-vermelho, batido com leite no liquidificador.

Além de todos esses benefícios, devidamente comprovados pela sabedoria popular, o arroz-vermelho é tido hoje pela medicina como um forte aliado no combate ao colesterol. Isso graças à monocolina, uma estatina natural cujo maior atributo é prevenir contra enfartes e derrames cerebrais. Francisca Lima, também moradora da zona de rural, é quem confirma o fato: “Quando meu pai teve um derrame, o médico recomendou arroz-vermelho pra ele”.

Valores nutricionais do arroz-vermelho (integral cru, porção de 50 g)

Calorias: 170 kcal

Proteínas: 3,2 g

Gorduras: 1,46 g

Carboidratos: 36,7 g

Fibra alimentar: 1,84 g

Sódio: 0,47 mg

Ferro: 0,4 mg

Potássio: 727 mg

Vitamina B1: 0,17 mg

Vitamina B3: 1,39 mg

Vitamina B6: 0,18 mg

FONTE: Veja Aqui  Abril

Related posts

22 de agosto é Dia do Folclore!

O Dia do Folclore é uma data importante do nosso calendário escolar. É quando reforçamos ainda mais as histórias das principais personagens das lendas brasileiras, e investimos em invenções, adaptações e dramatizações. “É algo absolutamente deslumbrante para as crianças”, afirma CintiaKatzwinkel, coordenadora pedagógica da Educação Infantil. Tradicionalmente, comemoramos o Dia do Folclore recebendo a ilustre

Leia Mais

Partilha do Pão: turmas prepararam pães para compartilhar

Todos os anos, na semana que antecede a Páscoa, trabalhamos com nossos alunos o fazer e compartilhar o pão entre os colegas. Além de preparar os pães, as crianças decoraram suas salas e serviram lanches deliciosos para receber uma turma visitante. Confiram algumas imagens: Infantil II A – Professora Susan Culinária – Produção do Pão

Leia Mais