22 de março: vamos usar azul no Dia da Água?

Desde 1993, o dia 22 de março é considerado o Dia Mundial da Água.

A data foi sugerida na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, em 1992, com o objetivo de despertar a população mundial sobre a importância da preservação hídrica para a sobrevivência de todos os ecossistemas do planeta.

Assim, anualmente a data promove a reflexão e o debate sobre um tema específico de extrema importância para a sobrevivência humana. Entre os temas já escolhidos estão: Água e Desenvolvimento Sustentável (2015), Água e Energia (2014),  Água e Segurança Alimentar (2012), Água para as Cidades: Respondendo ao Desafio Urbano (2011)Água Limpa para um Mundo Saudável (2010) e Soluções Naturais para a Água“ (2018).  

Lançado às vésperas do Dia Mundial da Água, o último Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos explora os sinais de exclusão e investiga formas de superar as desigualdades. “Não deixar ninguém pra trás”  é o título do relatório 2019, que explora o acesso a água potável e saneamento no mundo, assim como investiga os sinais de exclusão e as formas de superar as desigualdades. 

O documento foi lançado na terça-feira (19/3), em Genebra, na Suíça, durante a 40ª Sessão do Conselho de Direitos Humanos. 

Água: direito humano

Em 2010, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou uma resolução que reconheceu “o direito à água potável segura e limpa e ao saneamento como um direito humano” e, em 2015, o direito humano ao saneamento foi reconhecido de forma explícita como um direito distinto.

Esses direitos obrigam os países s a agirem rumo à obtenção do acesso universal à água e ao saneamento para todos, sem discriminação, ao mesmo tempo em que devem dar prioridade às pessoas mais necessitadas.

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 6 da Agenda 2030 também visa garantir a gestão sustentável e o acesso à água e ao saneamento para todos até 2030. Porém, apesar dos progressos significativos obtidos nos últimos 15 anos, esse objetivo é inalcançável para grande parte da população mundial.

Leia mais, clicando aqui.

Para assistir

Inspirado no livro “Ouro Azul”, de Maude Barlow e Tony Clarke, este documentário mostra o que estamos fazendo com a água potável disponível e o que possivelmente faremos quando esta faltar. O desenvolvimento excessivo e desenfreado da agricultura, da construção civil e da indústria aumenta a procura da água potável, resultando na desertificação da Terra. Em todas as partes do mundo a água está sendo poluída, extraída e esgotada exponencialmente.

“Ouro Azul” aborda ainda as atuais e as futuras guerras pela água, assim como o fato da falta de água em muitos países do mundo se dever à manipulação e corrupção por parte dos Governos, administrações locais e das corporações multinacionais da água.

O filme Ouro Azul: A Guerra Mundial pela Água foi realizado por Sam Bozzo e produzido pela Purple Turtle Films. 

Todos pela preservação da água

Aqui na Trilhas, a conscientização sobre a importância máxima deste recurso natural é uma prática diária entre as crianças. No Dia da Água esse é o nosso movimento especial: vamos usar roupas azuis no Dia Mundial da Água?

Related posts

Escolas começam a enfrentar déficit de natureza das crianças

Se alguma escola ainda tem grama sintética no parquinho é melhor arrancá-la imediatamente. Está tudo errado nessa ideia meio anos 1980 de se construir um ambiente artificial para que a criança não se suje enquanto brinca no intervalo. Primeiro, porque a brincadeira no pátio não é vista mais apenas como algo que o aluno faz

Leia Mais

Todas as escolas públicas de Nova York aderem à Segunda Sem Carne

Já está mais do que comprovado pela ciência de que uma das melhores maneiras de ajudarmos o meio ambiente éreduzir o consumo de carneou abraçar de vez a dieta vegetariana. Especialistas dizem que reduzir o consumo de carne vermelha é mais eficaz contragases do efeito estufado que deixar de andar de carro. Foi pensando nisso

Leia Mais