O Dia do Folclore é uma data importante do nosso calendário escolar. É quando reforçamos ainda mais as histórias das principais personagens das lendas brasileiras, e investimos em invenções, adaptações e dramatizações. “É algo absolutamente deslumbrante para as crianças”, afirma Cintia Katzwinkel, coordenadora pedagógica da Educação Infantil.

Tradicionalmente, comemoramos o Dia do Folclore recebendo a ilustre visita do Boi Trilheiro! A equipe da Parabolé Educação e Cultura, parceira da Trilhas de longa data, visitará a escola esta semana para uma grande festa! Para receber a trupe do Boi, cada turma está confeccionando bonecos-personagens desta história história tão especial! 

* Ouça um papo sobre folclore com Guilherme Romanelli. Especialista em educação musical, musicalização, formação de professores, resgate da música popular e construção de instrumentos, Guilherme também é professor do Departamento de Prática e Ensino da UFPR e pai dos alunos Gabriel e Laura.

Confira um vídeo sobre o nosso Boi Trilheiro!

CLIQUE AQUI para ver imagens da animada visitar do Boi Trilheiro ao Bosque da Trilhas!

Vale a pena saber!

A data existe graças ao arqueólogo inglês Ambrose Merton –pseudônimo de William John Thoms- que, em 1846, fez um estudo sobre as tradições e lendas do seu país. O termo folclore (folklore) é um neologismo criado e usado por ele em uma carta endereçada à revista The Athenaeum, de Londres, onde os vocábulos da língua inglesa folk e lore (povo e saber) foram unidos, passando a ter o significado de saber tradicional de um povo. Desde então, o termo é utilizado para designar toda a cultura nascida entre as pessoas, dando ao folclore o status de história não escrita de um povo.

Pode-se chamar de folclore a ciência das tradições e usos populares, que se constitui pelos costumes e tradições transmitidos de geração em geração. Todos os povos possuem suas tradições, crendices e superstições, que se transmitem através de lendas, contos, provérbios, canções, danças, artesanato, jogos, religiosidade, brincadeiras infantis, mitos, idiomas e dialetos característicos, adivinhações, festas e outras atividades culturais que nasceram e se desenvolveram com o povo.

O folclore brasileiro se originou pela mistura de diferentes raças, como índios, negros e brancos, que colonizaram nossa terra. A mistura dos conhecimentos de cada uma dessas raças foi sendo transmitida de uma para a outra, formando nossa identidade cultural.

Os personagens folclóricos mais conhecidos da nossa cultura são: o Curupira, o homenzinho que vive nas florestas, tem os pés voltados para trás, cabelo vermelho e que protege a natureza dos homens que tentam destruí-la; o Saci-Pererê, negrinho de uma perna só, que usa uma carapuça vermelha e fuma cachimbo, faz travessuras, esconde objetos, entra em redemoinhos e também assusta pessoas que tentam destruir as florestas; o Boto é uma espécie de peixe que se transforma em homem, para encantar as moças, levando-as para morar com ele nos rios do Amazonas; e a mula-sem-cabeça, uma mulher que fez tanto mal que a própria natureza a fez soltar fogo pelo pescoço, como castigo.

Fonte: Brasil Escola.

Related posts

8 de junho tem Festa Junina na Trilhas

Festa Junina comemorativa! Este ano nosso arraial será ainda mais especial, pois estamos comemorando 25 anos da Escola Trilhas! Na preparação para a festa, estamos dialogando com as turmas sobre como começaram os festejos juninos no Brasil, que têm origem nas festas pagãs do solstício de verão, realizadas para comemorar a colheita e a fartura

Leia Mais

Alunos (as) recebem a visita de diferentes animais

Durante as ultimas semanas as turmas têm realizado pesquisas para o projeto Nome de Turma. Como o tema gerador desse ano é “Conexões de Toda Natureza”, os eixos de pesquisas estão voltados para a natureza, para as diversas espécies de árvores e de animais. Ana Carolina, veterinária e mãe da Trilhas, gentilmente trouxe alguns animais

Leia Mais

Água de oito em cada dez municípios do Paraná apresenta “coquetel” de agrotóxicos

Em cada oito de dez municípios paranaenses, os cidadãos, ao consumirem água, acabam ingerindo um verdadeiro coquetel de agrotóxicos. É o que revela uma investigação feita com base em dados do Ministério da Saúde, os quais apontam que em 326 das 399 cidades do Paraná (81,7% do total) foi testado positivo, entre 2014 e 2017,

Leia Mais